quinta-feira, 12 de abril de 2012

Um homem de Deus



Um homem do mundo “chega” em uma mulher.
Um homem de Deus se aproxima.

Um homem do mundo “intima”.
O de Deus conhece, agrada, corteja, conquista.

Quem é do mundo “pega” uma mulher.
Quem é Deus se apaixona, se envolve e começa a namorar.

O começo de um namoro do mundo é permeado de amassos, traições, mentiras e desconfianças.
O de Deus tem oração, tem castidade, tem amizade e romantismo.

No mundo, amigo “pega” mulher de amigo.
Em Deus, casais amigos saem juntos e compartilham sonhos, planos, vidas.

O homem do mundo leva a mulher para comemorar um ano de namoro no motel.
O de Deus vai para a Capela e louva ao Criador pelo seu lindo relacionamento.

O homem do mundo se junta com a mulher e quando se casam a ressaca não permite que se lembre nem em qual igreja se casou.
O de Deus se emociona ao ver sua amada entrar na igreja, sente o peito bater mais forte a cada compromisso selado com Deus diante de seu Altar e ouve os anjos cantando "amém" após o primeiro beijo que dá em sua esposa.

Para um homem do mundo a noite de núpcias é só mais uma qualquer, como tantas e tantas outras.
Para o homem de Deus é o momento de consumar o seu matrimônio tornando-se um com sua amada.

Enfim, para o homem do mundo restam várias opções para a vida:

-Manter um casamento sem cumplicidade, onde as desconfianças continuam as mesmas do tempo de namoro.
-Tornar-se um homem violento, que bate na esposa e nos filhos.
-Tornar-se um homem frio que não sabe dar atenção nem para a esposa nem para os filhos.
-Ter alguns filhos, se separar, casar com outra, ter alguns filhos, se separar...
-Continuar casado, porém com uma (ou várias) amante (s) e também com alguns "chifres".
-Etc...

Para o homem de Deus resta apenas uma opção:

Constituir uma família santa e ser feliz ao lado da esposa e dos filhos, na saúde e na doença, na alegria e na tristeza, na riqueza e na pobreza, até que a morte os separe.

“Aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as põe em prática é semelhante a um homem prudente, que edificou sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e investiram contra aquela casa; ela, porém, não caiu, porque estava edificada na rocha.” (Mt 7, 24s)


2 comentários:

  1. Lidiane Ferreira Borges12 de abril de 2012 17:28

    eu quero um homem assim!
    ^^

    ResponderExcluir
  2. Eu sou um homem assim!!! ehuahuhehauhuehuahea
    Vanisse Cassin que o diga

    Parabéns André

    ResponderExcluir